Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte VII

2010 - EUA. Um duo californiano que lançou 2 discos até o momento, com uma mina fronteando, fazendo uso de vocais limpos e guturais, a sonoridade recebe fortes doses do doom metal tradicional. 2010 - Finlândia. Batendo na porta do experimental, as vezes macio, algo de stoner, uma maçaroca moderna que rendeu 2 discos. 2011 …

Continue lendo Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte VII

Anúncios

Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte VI

Iniciando com um projeto embaçadão, o inferno começou pela mente dum sueco chamado Rogga Johansson - "Behold the Pentagram" (cordas e vocais), esse maluco toca/tocou em umas 300 bandas, todas do mais profundo buraco do submundo, a ideia surgiu em 2008. O disco de estreia nasce em 2009, fortemente calcado na nova onda de fazer …

Continue lendo Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte VI

Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte V

Indesinence, fundada em 2001 na capital inglesa, lançaram 3 discos até se findarem em 2015, seu som é uma nova forma de executar Death/Doom, um modo mais moderno. https://www.youtube.com/playlist?list=PL6H7qrgwSYVFvPVTUOekx7pb7GGXSULSM Grieving Age, fundada em 2003 numa cidade litorânea da Arabia Saudita, não bastasse ser nada comum uma banda daquele país, os mano apostaram no exagero, faixas …

Continue lendo Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte V

Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte IV

1993 - EUA. Seu único disco foi gravado em 94, lançado 6 anos depois em 250 cópias numeradas à mão. A capa sugere uma influência do finado mago HR Giger, seu som traz um misto da escola estadunidense com a europeia. https://www.youtube.com/watch?v=EAlCmQ20ZBE 1993 - Polônia. O debut dos polaco vai na contramão do recorrente na …

Continue lendo Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte IV

Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte III

1990 - Finlândia. Os Unholy passaram 2 anos seguindo com outra banda, era de se esperar que fosse o suficiente pra engrenar, porra nenhuma! Tanto que as demos iniciais são o mais puro creme da imundice, musicalmente, a parada parecia ter amadurecido, mas na qualidade... A precariedade era tão grande que a 1ª demo teve …

Continue lendo Death/Doom Metal: a escola bruta – Parte III