5 bandas da onda revival pra você sacar

Venho me dedicando ao mundo do Doom Metal já faz um bom tempo, o lance é que eu curto umas parada pique revival, o que acabou atormentando o meu juízo a falar um pouco sobre o assunto. Essa onda vem crescendo com o tempo, as bandas que brilharam até um tempo atrás já beiram o esquecimento, masssss… sempre existe um lugar maravilhoso que eu chamo de Lado B, é lá que muita coisa massa acontece e é isso que irei trazer aqui, cai pra dentro e boa viagem!


Os Spiders iniciaram sua jornada em 2010, em Gotemburgo – Suécia, fronteados pela carismática e competente Ann-Sofie Hoyles, um grupo com cara de hit-band, apostavam suas faixas mais dançantes em clipes. Debutaram em 2012 com o Flash Point, alcançando turnês pela Europa, acompanhando bandas como Metallica, Uncle Acid, Graveyard, Blood Ceremony, etc…

Faixas curtas e diretas, timbragem áspera, músicas sobre o convício humano, couro sintético brilhando no jogo de luzes. O 2º disco foi lançado em 2014 – Shake Electric, o quarteto tava tão bem colocado que ganhou até prêmios de música em seu país, não é nenhum segredo que esse tipo de som tá fazendo a mente dos gringos.

No início de 2018, eles lançaram um single pro seu 3º disco, que será lançado no mesmo ano. Deram uma amolecida, a voz de Sofie perdeu um pouco da agressividade, mas essa “nova” proposta tá bem ajeitada também.

spidersdoa_v2_web-1-1024x1024


Dwellers – Utah/EUA.

Após uma curta fase experimental/instrumental, uma dose de azedume é adicionada pra formar o debut, fortes influências da música popular estadunidense, groove, e até riffs mais ardidos compõe a obra.

O seguinte chega mais adocicado, cheio de ginga, atolado na vibe derretida dos tempos do paz e amor com rostinho da atualidade, transar ouvindo esse disco cai muito bem, faça o teste.


Orcus Chylde – Aschaffenburg/Alemanha.

Iniciada em 2009, uma banda que pegou a veia, o auge desse tipo de som, com tamanha qualidade em seu único disco, mas ficaram fadados ao submundo, a história sempre se repete. Orcus Chylde parece estar inativa, o vocalista segue numa nova empreitada chamada Vvlva, que debutará em 2018.


Banquet – California/EUA.

Com aquela timbragem típica da nova onda do revival, os Banquet estrearam em 2015, vieram a debutar no ano seguinte, um disco redondo, sujo, com aroma de mofo. O play foi lançado via Heavy Psych Sounds, que vem investindo pesado em lançamentos da galera Lado B, contam com vários títulos em seu catálogo.

Link pra HPS – https://heavypsychsoundsrecords.bandcamp.com


Pra encerrar esse pequeno passeio pelo mundo vintagista, uma banda que vem abalando as estruturas do boogie-woogie roqueiro, os suecos Honeymoon Disease. Fronteada por duas minas que também cuidam das 6 cordas, iniciada em 2014, oriundos da mesma terra dos Spiders, os HD alcançaram um bom lugar rapidamente, trampando o seu som com gente entendida, apostando em video-clipes pros seus singles, logo chamaram a atenção da gigante Napalm Records, o debut foi lançado no fim de 2015.

O som da banda ecoou no submundo europeu, o que deu um pique pra novas composições e shows… o contrato com a Napalm não vingou, no início de 2017, eles fecharam com um selo sueco chamado The Sign, lançaram 2 singles como video-clipe, prenunciando o que viria em seu 2º disco, lançado em outubro de 2017. O mais puro creme do roque fumacento, vem baby, dance sem dó nem piedade!


 

Que Coffin Joe vos amaldiçoe! – G.Z/SUD

Anúncios

3 comentários sobre “5 bandas da onda revival pra você sacar

  1. Postagem foda, vamos lá!
    Ouvi com atenção o Spiders,quando surgiram. Ao reouvir, a pergunta se impôs: quem copiou quem? Eles ou o Blues Pills? Ha ha ha. realmente, os últimos sons estão mais mansos, mas não muito. Aguardemos o novo álbum;
    Dwellers – ouvi o segundo álbum, um chafurdar na psicodelia pesada de entortar a cabeça;
    Orcus Chylde -pqp, o que é isso???!!!Um dos melhores segredos do submundo da música que você postou até hoje. Realmente, o mercado do rock é muito cruel e injusto, um grupo desses sumir depois de um disco…
    O Vvlva é mais sujo, ríspido e direto, mas muito bom;
    Banquet – não ouvi tudo, interessante, muito bem feito, mas mais do mesmo;
    O Honeymoon Disease é isso mesmo: rock fumacento para se acabar em rolês esfumaçados, aliás, o clipe de ‘fly bird, fly high’ é,um retrato perfeito da proposta deles.
    Valeu, mais uma vez.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s