REVIEW: The W Likes – “The W Likes” (2017)

the w likes.jpg

(review por Matheus Jacques)

The W Likes – “The W Likes

Tracklisting:

1.Devil’s Window
2.Nice
3.This Time
4.Cometh
5.In a Mind
6.Rock is Dead
7.Adjustements
8.Whisper

 


 

A despeito de toda a relevância do país em relação ao Metal Extremo, principalmente no que tange o Black Metal, a Noruega também vem proporcionando um interessante convite para que tomemos conhecimento de sua interessante safra do Stoner Rock/Doom Metal. Por um lado, temos a ótima banda Devil que desde 2011 vem trazendo uma sonoridade calcada no Doom Metal tradicional de forma afinadíssima e recentemente lançou “To The Gallows” . Mais ou menos nessa época também dava suas cartadas a banda Svölk, com um Stoner Metal visceral e cheio de groove, que anda um tanto sumida . Talvez em hiato. E para completar, também podemos citar a ótima Lonely Kamel, que se bandeia mais para os lados do Blues associado a elementos ébrios e chapados, e deve estar por agora em estúdio dando os passos necessários para trazer ao mundo seu próximo album. Pois para adicionar a esse menu refinado, agora podemos citar também a banda The W Likes, formada no ano de 2010.

O quarteto lançou em (mês) desse ano seu álbum de estréia auto-intitulado pela Ramah Records, uma agradável peça de oito faixas que aglutina camadas diversas para construir sua base sonora. Com eficiência, habilidade e apuro os caras produzem um som que transita entre o Stoner, o Rock Psicodélico e o Doom Rock de forma dinâmica, sem devaneios e sem se perderem em falsas pretensões, mas com elementos vibrantes o bastante para entreter. Vale ressaltar que existe uma unidade nas faixas de “The W Likes”, e por isso o ouvinte não deve criar falsas expectativas: ao longo das oito faixas a banda mantem um desempenho padronizado e focado. Não existe uma grande ênfase na pluralidade de elementos e na diversificação, mas certamente existe um trabalho bem realizado em cima da proposta, e o resultado é um album que pode agradar e acertar em cheio alguns gostos.

“Devil´s Window” abre o trabalho, unindo um bom desempenho de guitarras a um vocal “viajante” e a um clima etéreo, por vezes me trazendo algumas reminiscências de Alice in Chains na seção vocal. “Nice” abre com afiado riff de guitarra e mantem essa linha downtempo de stoner psicotrópico, que aliás é a tônica do trabalho de uma forma geral. Novamente temos uma performance muito boa de ( ) no vocal e um epílogo climático e agradável. Destaco também “Cometh”, com uma abertura introspectiva, arrastada e módica dando espaço para pontuais “explosões” e com uma linha bem definida e desenvolvida; a mais movimentada “Rock is Dead” com uma levada mais acelerada na bateria e bons riffs; e uma das que mais agradou, “Adjustements”, um rock retrô bem feito com uso de Teclado e boa dose de energia.

“The W Likes” da banda homônima norueguesa deve passar batido de forma geral, talvez não tantos cheguem a conferir essa banda. Uma pena, pois existe qualidade e um potencial a ser desenvolvido por aqui, cabendo ao tempo maturar e lapidar essa questão. Por enquanto, só o que pode ser dito é que esse album tem nível o bastante pra não merecer passar totalmente abaixo do radar. Vale a audição e a luz jogada sobre a banda para os tempos futuros.

 


 

The W Likes – The W Likes (2017)
Data de Lançamento: 6/6/2017
CD / Digital, por Ramah Records

Arte da Capa: David Paul Seymour

Gravado em Memphis Bound Studio
Mixado por Magnus Østvang, Glenn Gran e The W Likes
Masterizado em Propeller Mastering, Oslo por Chris Sansom

 


 

The W Likes
The W Likes (SOUNDCLOUD)
BUY “The W Likes”

 

 

 


 

(TRANSLATION TO ENGLISH)

In spite of all the country’s relevance to Extreme Metal, especially regarding the Black Metal, Norway has also been providing an interesting invitation to take note of their interesting Stoner Rock / Doom Metal wave. In one side we have the great Devil that since 2011 has been bringing a sound based on traditional Doom Metal in a very fine style and recently released “To The Gallows”. More or less at that time also gave their cards the band Svolk with a groovy, visceral Stoner Metal, which is somewhat sunken. Maybe on hiatus. And to top it all off we can also quote the great Lonely Kamel who walks more to the side of the Blues associated with drunken and stoned elements, and should be in the studio right now taking the necessary steps to bring the next album to the world. To add to this refined menu we can also mention the band The W Likes founded in 2010.

The quartet released their self-titled debut album in June,6 through Ramah Records, a delightful eight-track piece that brings together various layers to build their sound base. With efficiency, skill and ability the guys produce a sound that transits between Stoner, Psychedelic Rock and Doom Rock dynamically without daydreaming and without getting lost in false pretenses, but with elements that are vibrant enough to entertain. It is worth mentioning that there is a unit in the tracks of “The W Likes” and therefore the listener should not create false expectations: throughout the eight sounds the band maintains a standardized and focused performance. There is not a great emphasis on the plurality of elements and the diversification but surely there is a well-done work on the proposal, and the result is an album that can please and hit some tastes.

“Devil’s Window” opens the work bringing good guitar performance to a “traveling” vocal and ethereal mood, sometimes bringing me some reminiscences of Alice in Chains in the vocal section. “Nice” opens with a sharp guitar riff and keeps that downtempo line of psychotropic stoner, which incidentally is the keynote of work in a general way. Again we have a very good vocal performance of Willy and a climactic and pleasant epilogue. I also emphasize “Cometh”, with an introspective, dragged and modest opening giving space for punctual “explosions” and with a well defined and developed line; the busiest “Rock is Dead” with a faster acceleration on the drums and good riffs; and one i most liked “Adjustements”, a retro rock well done using keyboard and good energy.

The eponymous “The W Likes” from the Norwegian band can stay under the radar, maybe not so many come to check this band. A pity, because there is quality and a potential to be developed here, while it is time to mature and to work in this stuff. For now only what can be said is that this album got enough quality to dont deserve go completely under the radar. It is worth the hearing and throw the light above this cool norwegian band in the future times.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.