REVIEW: Ruckwater – “Bonehead EP” (2017)

ruckwater-bonehead640

(thanks to Joni and Secret Entertainment for the stuff!)

(review por Matheus Jacques)


RUCKWATER – “Bonehead” EP

Tracklisting:

01. Once More With Feeling
02. No Gain
03. Labyrinth
04. Super Frustration
05. Bonehead
06. Flame Doesn’t Cast A Shadow

Lançado pelo selo finlandês Secret Entertainment, o EP “Bonehead” é o novo trabalho da banda nativa Ruckwater, oriunda da cidade de Tampere.  Seu terceiro EP sucede “So far out…” (2011) e “What’s in the box?” (2013) e traz seis faixas mesclando elementos de Hard Rock, Punk e Stoner, em uma amálgama que deve satisfazer gostos variados. A visceralidade permeia grande parte do trabalho e cativa prontamente, embasada em riffs lascivos e incendiários, e na parceria vocal afinada de Make e Jussi, guitarrista e baixista respectivamente.

Ruckwater apresenta seu poder de construção sonora com “Once More With a Feeling”, um bom Heavy Rock no estilo “base de riff” com Make (guitarrista) tomando a dianteira dos vocais e entregando uma ótima performance com seu vocal grave e rasgado, me remetendo de forma sólida ao Rock dos anos 90, que demonstra ser uma referência poderosa da banda para o desenvolvimento de “Bonehead” e onde ela melhor ganha terreno. De uma forma geral a banda caminha em terreno seguro e sólido como concreto ao aliar de forma coesa e paralela elementos que nos endereçam aos power trios de Hard Rock setentista (de forma mais tímida) e ao Rock dos anos 90 (nesse caso, de forma bem mais evidenciada). E essa faixa soa como um convincente tipo de “hino” de Hard Rock mais contemporâneo, aliando peso e uma boa dose de “facilidade de assimilação”, vindo a ser uma daquelas faixas chiclete.

“No Gain” ascende a partir de alguns espasmos acústicos a um breve frenesi de riffs cortantes e incendiários somados a um trabalho intempestivo de bateria. Make conduz o vocal n0s versos e Jussi (baixista) o faz no refrão, criando uma parceria produtiva ao longo do trabalha. A faixa tem em sua essência uma visceral pegada de Heavy Rock atrelada a uma certa “aura” punk, criando um desenvolvimento que se calca em elementos mais contemporâneos de Hard Rock.

Labyrinth” e “Super Frustration” se sucedem. A primeira é uma peça “lento-moderado-lento”, um petardo voltado a uma linha mais Stoner Rock em seu interlúdio cercada por duas partes de andamento mais comedido e melódico, criando uma dinâmica aprazível e empolgante. E a segunda é um célere explosão alinhada com o hardcore punk, curta e objetiva ao extremo.

A faixa titulo “Bonehead” prima pela energia com Make novamente entregando uma performance elétrica e digna de elogios,  e uma capacidade de fornecer sólido entretenimento talhado na base de crueza e vigor. Talvez a peça de Hard Rock pudesse se extender por um pouco mais de tempo, encerrando-se um tanto abruptamente em pouco mais de 2 minutos. Mas passa a mensagem e tem seu valor.

Flame Doesn´t Cast a Shadow” é o marcante ponto fora da curva de “Bonehead”. Durante a parte majoritária de sua execução ela é permeada por uma dissonante atmosfera bem mais arrastada e com algum apelo pop e simplista. A visceralidade é posta um tanto de lado em detrimento da pretensão da criação de um faixa talvez mais intimista e que destoe da carga frenética do álbum, com o vocal de Jussi aparecendo de forma mais contida, comedida. Certamente não chega a ser uma falha do álbum, mas diria que é um tanto estranho justamente na faixa de desfecho do trabalho realizar esse movimento, ainda que os 3 minutos finais tragam novamente um ciclo de maior intensidade que se comunica diretamente com todo o resto do sólido trabalho da Ruckwater.

De forma bem sucinta e direta, “Bonehead” é um bem sucedido trabalho de Hard Rock providenciado por um trio bem afinado na proposta. Os flertes são variados e no geral, vão no alvo em todos os momentos. Não existe absolutamente nenhuma falha gritante, bem pelo contrário. Se não reinventa, agrada. Se não renova, cativa. É um trabalho de Heavy Rock honesto, bem feito e muito bem produzido, límpido como cristal!


RUCKWATER – Bonehead EP(2017)
Data de Lançamento: 24/2/2017
Secret Entertainment
Cd / Digital


RUCKWATER é:

Jussi Vehman – vocal/baixo
Make Makkonen – vocal/guitarra
Jape Makkonen – bateria


Ruckwater
Ruckwater (SOUNDCLOUD)
Secret Entertainment
Secret Entertainment (OFFICIAL)

BUY “Bonehead EP”

 

 

 

 


 

 

(TRANSLATION TO ENGLISH)

Released by the finnish label Secret Entertainment, the EP “Bonehead” is the new work of native band Ruckwater coming from the city of Tampere. Their third EP succeeds “So Far Out …” (2011) and “What’s in the Box” (2013) and features six tracks mixing elements of Hard Rock, Punk and Stoner into an amalgam that should satisfy varied tastes. Viscerality permeates great part of the work and captivates promptly based on lewd and incendiary riffs, and in the vocal partnership of Make and Jussi, guitarist and bass respectively.   

Ruckwater presents their soundbuilding power with “Once More With a Feeling”, a good riff-based Heavy Rock with Make (guitarist) taking the lead of the vocals and delivering a great performance with their aggravated and raw vocals referring to the 90’s Rock, which proves to be a powerful reference to the band to the development of “Bonehead” and where they better gains ground. In general the band walks on safe and solid ground  by allying in a cohesive and parallel way elements that remind us the power trios of 70’s Hard Rock (in a more timid form) and the 90’s Rock (much more evident in this case). And this track sounds like a  type of compelling modern Hard Rock “anthem” allying weight and a good dose of “easy -listening” coming to be one of those catchy songs.

“No Gain” rises from some acoustic spasms to a brief frenzy of sharp and incendiary riffs added to an thundering work of drums. Make leads the verses and Jussi (bassist) leads the chorus creating a productive partnership throughout the work. The track got in essence a visceral Heavy Rock pace attached to a certain punk “aura” creating a development that sticks to some more contemporary Hard Rock elements.

“Labyrinth” and “Super Frustration” succeed each other. The first is a “downtempo-midtempo-downtempo” tune, a great track aimed at a Stoner Rock line in the interlude surrounded by two parts of more restrained and melodic tempos creating a pleasurable and exciting dynamic. And the second is a fast-paced explosion aligned to hardcore punk, short and objective to the extreme.

The title track “Bonehead” came with a lot of energy with Make delivering again a electric performance worthy of praise and with the ability to provide solid entertainment carved on the basis of rawness and rage. Maybe this Hard Rock piece could stretch for a little longer, closing quite abruptly in just over 2 minutes. But passes the message and worth the price.

“Flame Doesn’t Cast a Shadow” is the “Bonehead” point off the curve. During the majority part of the execution the track is permeated by a dissonant atmosphere much more dragged and with some simplistic and pop appeal. The viscerality is set aside in detriment of the pretension of create a perhaps more intimate track that distances itself from the frenetic charge of the album with Jussi’s vocal appearing more restrained, measured. Certainly is not a flaw in the album but I would say that sounds a little strange hear a track like this one in the bottom of the album, although the last three minutes provides another cycle of greater intensity that communicates directly with all the rest of the Ruckwater’s solid work.

In a very succinct and direct way “Bonehead” is a successful Hard Rock’s work provided by a skilled trio. The flirts are varied and generally hit the target with full power. There is absolutely no glaring flaw, quite the contrary. If it doesn´t reinvent anything, really please our taste.. If it does not renew, it captivates us. It’s an honest Heavy Rock work really well done and very well produced, clear as crystal!

                   

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s