REVIEW: The Heavy Crawls – “The Heavy Crawls” (2016)

the-heavy

THE HEAVY CRAWLS – “The Heavy Crawls”

Tracklisting:

1.No Longer Mine
2.Do You Feel My Love
3.She Said I Had To Wait
4.I Had To Get Away
5.One Of A Kind
6.Too Much Rock’n’Roll
7.Friday, 13th
8.Girl From America
9.Backseat Blues
10.Burns Me From Inside


The Heavy Crawls é uma forma de nos dizer que devemos prestar mais atenção para o que acontece em Kyiv. Quantas bandas, dos mais diferentes estilos, estão se destacando no cenário e fazendo tudo isso da forma mais competente possível? Essa banda em especial resgatou aquele som hard/heavy sententista que tanto admiramos. Escutar esse disco foi como se eu tivesse entrado no Delorean e voltado para os anos 70 para escutar esse disco ao lado de um hippie e uma groupie. Eles mantiveram as guitarras sujas (uma ótima decisão) para deixar o som bem clássico, bem vintage.

As 4 primeiras faixas: “No Longer Mine”, “Do You Feel My Love”, “She Said I Had To Wait” e “I Had To Get Away” são fantásticas. São coisas que você facilmente encontraria no disco Dead Forever do Buffalo ou no Climbing! do Mountain. Elas mostram para o que eles vieram e para onde vão te levar. Todas bem elétricas, cheias de vida. “One Of A Kind” já tem uma pegada mais leve, uma linda balada que começa com uma levada e tem um toque especial de um órgão. Algo incrível que você não vê sendo muito usado hoje em dia.

Too Much Rock’n’Roll” é uma faixa bem legal, bem hard rock, no melhor estilo Thin Lizzy. Provavelmente é a faixa que eu mais gostei  justamente por ter essa pegada explosiva, onde a música se mantem alta o tempo inteiro. “Friday, 13th” e “Girl From America” seguem bem a cartilha, ou melhor dizendo, a direção que a banda segue desde da primeira faixa. Não são músicas para encher o pacote, que estão ali sem nenhum motivo. Elas são bonitas,  possuem suas próprias identidades, ou seja, são tão boas quanto as anteriores. “Backseat Blues”  tem uma atmosfera bem country, bem southern. Arrastada ao melhor estilo caipira de ser e a última faixa, “Burns Me From Inside” é bonita pra caralho.

O que eu achei do disco? É um disco coeso, que foi muito bem gravado para levar o ouvinte a pensar que está escutando uma banda que nasceu no início dos anos 70. Não tem uma faixa que você pode dizer “pô, isso é uma droga”. São músicas que poderiam ter sido compostas, além das bandas citadas acima, por Neil Young em seus melhores dias no Buffalo Springfield ou pelo  Lynyrd Skynyrd. Fiquei extremamente satisfeito de ter escutado e resenhado esse disco e digo mais uma vez: Temos que olhar mais para o que nossos amigos de Kyiv fazem por lá.


THE HEAVY CRAWLS – The Heavy Crawls (2016)
Data de Lançamento: 29/9/2016
CD / Digital
Produzido por: Max Tovstyi
Gravado em BrokenBrick Studios, Kyiv
Masterizado em Real Music House Studio, Bratislava
Mixado por: Max Tovstyi

THE HEAVY CRAWLS é:

Max Tovstyi – guitarra/vocal/baixo/teclado/bateria (Too Much Rock´n Roll)
Irina Malyshevskaya – teclado/percussão
Iness Joger – bateria


The Heavy Crawls
The Heavy Crawls (BANDCAMP)
The Heavy Crawls (OFFICIAL)


  heavy


 (TRANSLATION TO ENGLISH)

“The Heavy Crawls” is a way to telling us we should pay more attention to what happens in Kyiv. How many bands of the most different styles are standing out on the stage and doing all this in the most competent possible way? This band in particular rescued that hard / heavy 70’s music that we both admire. Listening to this record was as if I had entered in the DeLorean and went back to the 70’s to listen to this record alongside a hippie and a groupie. They kept the guitars dirty (a great decision) to make the sound very classic and retro.

The first four tracks: “No Longer Mine”, “Do You Feel My Love”, “She Said I Had To Wait” and “I Had To Get Away” are fantastic. These are things you would easily find on Buffalo’s “Dead Forever” or Mountain’s “Climbing!”. They show you to what they came for and to where they will take you. Completely electric and full of life. “One Of A Kind” has a more soft charge, a beautiful ballad that begins with a good vibe and has a special touch of an Organ. Something incredible that you can´t see being used too much these days.

“Too Much Rock’n’Roll” is a real cool and very Hard Rock track in the best Thin Lizzy style. It’s probably the track I liked the most because it had this explosive vibe where the music stays high all the time. “Friday, 13th” and “Girl From America” follow well the booklet. Or better saying, the direction that the band follows since the first track. The tracks aren´t here just to fill the package, which are there for no reason. They are beautiful, have their own identities. They are as good as the previous ones. “Backseat Blues” has a very good southern,country atmosphere, dragged into the best country style. And the last track “Burns Me From Inside” is pretty fucking beautiful.

What did I think about the album? It’s a cohesive record which has been nicely recorded to get the listener to think they’re listening to a band that was born in the early 70’s. There’s no track you can say “oh, this sucks.” These are songs that could have been composed by Neil Young in his best days at Buffalo Springfield or Lynyrd Skynyrd. I was extremely pleased to have listened and reviewed this album and I say one more time: we have to look more at what our friends in Kyiv are doing!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.