Brasil Chapado 2016: 8 bandas esfumaçadas, lamacentas e de som torto que arrepiaram nesse ano!!! – Parte I

2016 tem sido um ano ímpar para o universo do rock pesado, chapado, denso e vibrante no país. Muitas tours e odisséias realizadas através do país, bandas do Nordeste desbravando a “parte de baixo” do mapa, bandas do Sul se aventurando por territórios da parte de cima, e principalmente, novos albums. Novas bandas vêm surgindo com material fresquinho e impactante, e bandas com bom tempo de estrada lançaram novas incursões de qualidade pelo submundo do rock chapado.

Essa pequena “epopéia” da Stoned Union Doomed buscará mostrar até o fim do ano um pouco do que rolou de mais bacana em 2016 em se tratando de novos albums e EPs lançados por bandas nacionais. E como já deve estar bem claro, mais claro que cristal, o rock respira muito bem sem aparelhos no submundo, obrigado! Confira um pouco das novidades de 2016, com 8 bandas em cada parte desse tópico.

NAKED DRIVERS

naked

O quarteto potiguar Naked Drivers, formado no final de 2015, lançou esse ano o seu EP de estréia “Hot Like a Fever“, do qual pode se esperar uma coisa acima de tudo: visceralidade. A premissa dos caras é executar um Hard Rock estradeiro, eletrizante, com influências de bandas dos anos 70 como Deep Purple, Blue Cheer, Bad Company e Grand Funk Railroad. Tudo com um delicioso verniz dessa nova vibe de “revival” contemporânea. “Hot Like a Fever” é o rock´n roll em sua melhor forma, sem firulas!

CATTARSE

cattarse

O power trio gaúcho Cattarse é mais um que chuta pra longe o lance das firulas e da pomposidade. Com seu blues lamacento imbuído de alguma lisergia e de uma dose extra de peso, os caras botaram pra jogo esse ano o excelente “Black Water“, sucessor do bom album “Cattarse” de 2014. Com uma evolução absurda, mudou-se o conceito estético das letras em português para o inglês e ficaram a solidez, o peso nos riffs e o capricho com a construção de suas canções. Faixas como “Mr.Grimm”, “Walking on Glass” e “Fire in the Hole” são marretadas nos ouvidos, o que é comprovado e reforçado nas incendiárias apresentações dos caras!

GODS AND PUNKS

gods

The Sounds of the Earth” é o EP de estréia dos cariocas da Gods and Punks e já vem com uma inspiração que remete facilmente a um grande tempo de estrada percorrido e muita afinidade musical entre os caras. As cinco faixas do EP trazem uma mistura de influências diversificadas, como o rock psicodélico, o hard rock setentista, o metal e até o rock progressivo, com nuances que evocam de Rush a Black Sabbath, de Led Zeppelin a Wolfmother! Bons riffs, uma cozinha muito eficiente e um vocal diferenciado e cheio de personalidade estão inclusos no pacote.

MONDO BIZARRO

mondo

A pernambucana Mondo Bizarro é mais uma dessas bandas sem mistérios: é rock´n roll, puro e simples. É daquelas pauladas na mente que ecoam e reverberam por dias e dias, fazendo a festa dos apreciadores de uma boa sonzeira ébria e porra louca. Formada em 2013 e com músicos bem atuantes no cenário do rock pesado autoral, inclusive com o festival pernambucano Stoned Festival sob sua batuta, os caras botaram pra jogo em 2016 “Too Loud is Not Enough“, seu primeiro full, uma verdadeira ode ao rock´n roll acachapante, violento e divertido, devendo agradar fãs de Motorhead, Orange Goblin, Spiritual Beggars e Punk Rock, alem de qualquer apreciador de um “bom e velho rock´n roll” em geral!

AUGUSTINE AZUL

augustine

A banda paraibana Augustine Azul é mais uma a vir reforçar o time de excelente nomes oriundos do Nordeste, que alem de entregar pedreiras desaceleradas como a mossoroense Black Witch, nos dá a honra de conferir sonoridades viajantes e brisadas como a desse três sujeitos de João Pessoa.

A trinca instrumental desenvolve uma sonoridade entregue aos devaneios e à lisergia com um escopo musical que varia entre o Stoner Rock, o rock psicodélico, o Jazz, Post Rock e outros elementos, e botou na mesa em 2016 “Lombramorfose“, seu excelente novo trabalho sucedendo um EP de 2015. “Lombramorfose” saiu esse ano pelo selo gringo More Fuzz Records, sendo o a estréia do recem formado selo, e reafirma a qualidade e a força dos caras em desenvolver seu som hipnótico e cativante!

I AM THE SUN

i-am-the-sun

Riffs, marretadas, groove monolítico e muita porradaria! Isso é o que se pode esperar de “Death Water“, novo trampo da banda I Am The Sun, do interior de São Paulo.

Vindo de Bragança Paulista, o trio aposta em uma sonoridade sem maiores segredos e complicações, uma brutal mistura de rock´n roll, metal e stoner com uma pegada que passa por Red Fang, Orange Goblin, Down, Corrosion of Conformity e outras, sempre pisando fundo o pé no acelerador e descendo a lenha com garra e vontade. Massacre sonoro garantido em dez faixas de muita energia e solidez!

MAD HEAD MACHINE

mad-head-machine

Formado no final de 2013, o promissor trio joinvillense Mad Head Machine recentemente liberou o seu EP de estréia. “Mad Head Machine” contem quatro faixas que associam uma pegada”motorhediana” a influências de bandas como Black Label Society e Brand New Sin, numa vibe meio Southern Metal. Entretanto, toques e inspirações de stoner rock tambem podem ser encontrando em meio ao trampo, talvez devido ao gosto dos caras por nomes do gênero!

As apresentações (três que eu já vi, mais duas a caminho, sempre contabilizando!) são empolgantes, enérgicas e muito bacanas, e definitivamente a Mad Head Machine é um nome a se manter no radar nos próximos tempos, pois muita coisa bacana ainda pode vir desses três caras do Norte de Santa Catarina.

MUÑOZ

munoz

E pra finalizar essa primeira parte dos lançamentos de 2016, uma banda que já é mais que conhecida por essas terras e é apreciada de forma veemente por onde passa: Muñoz.

O duo formado pelos irmãos Samuel e Mauro Fontoura já tem no currículo uma porrada de turnês brasileiras, abertura para bandas gringas como a alemã Kadavar e a sueca Truckfighters, participações em festivais como o Medusa Stoner Fest em Florianópolis/SC, quilometragem imensa através do Brasil e por aí vai. Em 2014 os caras lançaram seu primeiro album, Nebula, e agora em 2016 eles lançaram pelo seu próprio selo (Infrasound Records) o novo”Smokestack“, uma nova rodada de absurdo heavy blues a sangrar ouvidos e aturdir mentes, fazendo jus a nomes como Grand Funk Railroad, Cactus, Radio Moscow, Humble Pie e por aí vai. Smokestack certamente figura entre os melhores lançamentos do ano e mantem a qualidade do som dos caras, que ainda por cima fazem absurdas e sólidas apresentações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.